1 Coríntios 10:31

 

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31 ACF

Introdução

Quando se trata de discorrer sobre o tema “propósito de Deus”, é importante compreender que todo ser humano faz parte de um plano que é maior do que ele. Esse plano/propósito se origina da vontade de Deus e é guiado pela seus atributos, em especial o amor e a justiça.

Propósito está relacionado ao motivo de vida. Não se confunde com posses, títulos ou influência social, mas o propósito de vida é a razão de viver. Isso implica saber qual o motivo da existência, qual a finalidade das coisas que circundam o indivíduo. Paulo nos ensina no trecho lido que independente do propósito, a finalidade é que se viva para exaltar a pessoa de Cristo, exatamente porque Cristo é a essência da glória de Deus. Não somos um acidente, mas sim frutos do plano perfeito para exaltá-lo, se respiramos é para devolver o ar em adoração. O homem glorifica a Deus não porque Deus precisa, mas sim pelo bem do próprio homem.

Segundo Rick Warren, no livro “Uma vida com propósito”, Deus não é apenas o ponto de partida de nossa vida: é a fonte dela. Entende-se que o desejo de viver e transpirar a glória de Deus deve se iniciar na compreensão da sua perfeita vontade, diminuir o ego para elevar a obediência.

A Bíblia ensina verdades sobre a glória divina que necessitam ser vividas pelo homem:

  

Desenvolvimento

1) TUDO É POR ELE E PARA ELE

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31

No contexto, Paulo educa a Igreja a evitar consumir alimentos destinados aos ídolos com o simples objetivo de contribuir para a edificação do recém-convertido, pois o novo na fé poderia se incomodar ao perceber o contato com “coisas pagãs”. A intenção de Paulo é única: limitar espontaneamente o cristão experiente para facilitar e incentivar o desenvolvimento espiritual dos novos na fé.

Paulo conclui esse tema sustentando seu argumento na convicção de que o fazer e o não fazer devem ser para a glória de Deus! A glória de Deus é o que Deus é, é a sua essência, poder, amor e bondade. Deus deseja que demonstremos isso por meio das nossas atitudes e palavras.

Por qual motivo o homem deve se ater a questões rasas como qual comida devo comer? Se tudo é para a glória de Deus, porquanto o homem se incomoda quando o seu próprio desejo não é satisfeito? Não raras vezes o cristão se detém em questões superficiais que apenas desnutrem a fé e incentivam divisões dentro da Igreja! Isso não revela a glória de Deus, pelo contrário, afasta ela.

Do que você é capaz de abdicar em favor do Reino?

É comum perguntar onde está a glória de Deus, como se fosse algo distante… a glória de Deus se encontra nas coisas simples, no dormir e acordar, no sorrir e no chorar. Segundo Rick Warren, o homem glorifica a Deus quando aplica os 5 propósitos no seu dia a dia, quais sejam: Adoração (estilo de vida), Comunhão (amar o próximo), Discipular (maturidade), Servir (ajudar) e Evangelizar (compartilhar).

Embora muitos entendam a importância da glória eterna, alguns caem em desafios e não adoram como deveriam. Vejamos esses desafios.

2) DESAFIOS EM GLORIFICAR DEUS

“Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.” 1 Pedro 4:11

Infere-se do versículo os seguintes apontamentos:

Todos possuem algum dom, seja de falar ou de administrar, compete ao cristão se sujeitar ao Criador na procura do seu propósito

• O dom não possui o alvo de exaltar quem o usa, mas somente o Criador de todas as coisas

• O uso de todos os dons tem a consequência de abençoar o próximo

 

O apóstolo Pedro orienta que o indivíduo use seus dons objetivando a glória de Deus.

Independentemente de qualquer faculdade, o uso dos atributos pessoais deve ser destinado ao benefício do Reino. Nesse momento, surge o primeiro desafio em glorificar a Deus: a (1) VAIDADE.

Usar o dom em proveito próprio, incentivando o orgulho e massageando senso errôneo de superioridade não pode ser defendido por alguns. Um dos primeiros sinais do distanciamento dos propósitos de Deus é estimular a própria vaidade.

Importa ressaltar outro desafio que se enfrenta ao glorificar Deus, (2) AFLIÇÕES SECULARES.

“Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas. E Jesus, ouvindo isto, disse: Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.” João 11:3,4

No contexto, Jesus afirma diante do desespero de Maria e Marta, que a doença de Lázaro era para a Glória divina. Ele foi curada para glorificar o Pai. Ou seja, Jesus ensinou que não se pode permitir que as aflições seculares, como doenças, desemprego ou traições, afastem a fé na providência divina, muito pelo contrário! As aflições devem aproximar o indivíduo de Deus. Até mesmo as mais profundas dificuldades devem servir para a Glória de Deus. Qual é a sua dificuldade que mais glorifica a Deus?

(3) RENÚNCIA

E, depois disto, saiu, e viu um publicano, chamado Levi, assentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. E ele, deixando tudo, levantou-se e o seguiu. E fez-lhe Levi um grande banquete em sua casa; e havia ali uma multidão de publicanos e outros que estavam com eles à mesa. Lucas 5:27-29

Levi seguiu Cristo motivado pelo seu chamado. O texto aborda a expressão “deixando tudo”, isso nos ensina a importância de renunciar o que temos e o que somos para a Glória de Deus.

Levi serviu Cristo com um banquete repleto de publicanos, e, assim, renunciou seu prestígio social. Gerou ali um ambiente propício para a ministração de Jesus e, consequentemente, manifestação da Glória Divina. Levi renunciou suas posses e suas vantagens políticas para a glória de Jesus.

Às vezes para ficar perto de Deus é necessário renunciar a todo o resto. Para buscar a verdade é necessário renunciar as ilusões que o mundo oferece. Muitos não encontram a glória divina pois se perderam na glória das coisas.

O que impede você de renunciar a algo, a alguém ou você mesmo para glorificar a Deus?

 

3) A RENÚNCIA EXEMPLAR PARA A RESTITUIÇÃO DA GLÓRIA DIVINA NO HOMEM

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus”. Romanos 3:23,24

No texto, apóstolo Paulo nos ensina que Jesus religou a humanidade com o Pai, pois o homem tende a cair em uma espiral descendente rumo à escuridão moral.

O pecado destituiu o homem da Glória de Deus. “Destituídos” vem da palavra grega husteréo, que significa não conseguir atingir a metas, implica vazio, contemplar o nascer do dia, mas não ver nenhum raio de luz, caminhar no litoral e não sentir o calor; destituído significa que a essência foi esquecida, que falhamos e continuamos errando em confiar em Deus.

Todavia existiu um homem que não falhou, mas obedeceu até o fim, isso resultou na justificação que uniu a humanidade e Deus. Jesus restituiu a Glória do Pai no homem por meio da justificação. “Sendo justificados gratuitamente” Rm 3:24.

Através do sangue de Cristo o ser humano é justificado, não existe outro caminho. A igreja de Laodiceia aprendeu que somente em Cristo temos a orientação para salvação.

“Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” Ap 3:17,18

Conselhos:

Comprar de Cristo ouro refinado (puro).

A verdadeira riqueza é espiritual, e vem exclusivamente de Deus. Ele oferece o ouro puro, refinado pelo fogo. Ou seja, a riqueza viria por assumir a postura de servos diante do mundo, o que, pare evitar problemas com o imperador, não era feito pela cidade.

Comprar vestiduras brancas.

Embora a cidade fosse um centro de indústria de vestuário, é Deus quem nos dá roupas puras, ou seja, nos lava de qualquer pecado. (3:4; 19:8).

Comprar colírio para os olhos.

Laodiceia tinha uma escola de medicina, que, segundo Champlim, produziu um dos melhores colírios para infecções oculares, comum no oriente. Em contradição, a cegueira espiritual dessa cidade somente seria curada por Jesus.

Renunciar aos caminhos que distanciam de Deus é o primeiro passo para agradar ao Senhor. A glória de Deus atingiu sua essência na maior renúncia da história, a cruz. Jesus renunciou sua vida justamente para que a humanidade se reconciliasse com o Pai e a partir daí vivesse o propósito de vida glorificando o Deus Pai em sua essência.

Conclusão

Viver para a Glória de Deus exige do cristão renúncia e alteração das prioridades, todavia, a recompensa de fazer a vontade divina se sobrepõe a qualquer sacrifício.

Por não ser um acidente, o homem deve confiar que faz parte do plano amoroso, ainda que aflições surjam, o plano divido é perfeito e jamais deixará qualquer filho dele abandonado.

Etapas para se viver a glória divina: 1º Creia; 2º Receba e em 3º Ame.