Lucas. 7:1-10

1. E, depois de concluir todos estes discursos perante o povo, entrou em Cafarnaum.
2. E o servo de um certo centurião, a quem muito estimava, estava doente, e moribundo.
3. E, quando ouviu falar de Jesus, enviou-lhe uns anciãos dos judeus, rogando-lhe que viesse curar o seu servo.
4. E, chegando eles junto de Jesus, rogaram-lhe muito, dizendo: É digno de que lhe concedas isto,
5. Porque ama a nossa nação, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.
6. E foi Jesus com eles; mas, quando já estava perto da casa, enviou-lhe o centurião uns amigos, dizendo-lhe: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado.
7. E por isso nem ainda me julguei digno de ir ter contigo; dize, porém, uma palavra, e o meu criado sarará.
8. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados sob o meu poder, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.
9. E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé.
10. E, voltando para casa os que foram enviados, acharam são o servo enfermo.

 

Introdução

Que texto lindo, cheio de riquezas.

Depois de pregar sobre as bem aventuranças, Jesus vai para Cafarnaum , a cidade que escolheu para ser sua residência, pois era uma cidade portuária.

Naquela cidade havia um centurião romano. Os centuriões eram escolhidos pelas suas capacidades de comando e pela prontidão em lutarem até à morte.

Não havia barreiras para aquele comandante, até que se viu em uma situação que ele com toda a sua capacidade e coragem, não poderia resover. Ele encontrou uma barreira que ele mesmo não tinha como superar. Havia algo impossível para ele.

A impossibilidade daquele homem era a grave doença do seu servo.

O centurião mesmo não sendo do povo de Israel, mesmo sendo considerado gentio, demonstrou uma fé capaz de crer que Jesus poderia fazer algo impossível na vida do seu servo.

 

Desenvolvimento

A primeira barreira daquele homem a ser superada era o reconhecimento diante da sua impossibilidade de curar o seu servo. Aplicação: existe uma barreira interna que nos impede de desfrutar o milagre de Deus em nossas vidas.

A segunda barreira a ser rompida foi a visão que os líderes religiosos tinham de Jesus.

A barreira do orgulho, a arrogância dos líderes foi desfeita, por que eles mesmo não sabiam o que fazer.

Jesus foi com eles! Quando Jesus vai tudo muda.

Aplicação: Quais as barreiras que você tem enfrentado?

“As impossibilidades são o prato predileto de Deus.

A fé do centurião romano, que o levou a crer no impossível, é marcada por, pelo menos, quatro características de suma importância.

1ª Característica = INICIATIVA

“Ali estava doente, quase à morte, o servo de um centurião, a quem seu senhor estimava muito. Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo.” (Lucas 7.2- 3)

Ele envia alguns anciãos judeus para pedir que Jesus vá à sua casa para curar o seu servo. Ele reconhece que a única solução para o seu problema é Jesus e, por isso, toma a iniciativa de recorrer a ele.

Jesus tem poder para curar, restaurar e salvar. Diante das impossibilidades da vida, temos que ter a iniciativa de procurar por Jesus.

2ª Característica = COMPAIXÃO

“Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo. Chegando-se a Jesus, suplicaramlhe com insistência: Este homem merece que lhe faças isso, porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga.” (Lucas 7.3-5)

A compaixão do centurião pelo seu servo é digno de nota, pois na lei romana um escravo era apenas uma ferramenta viva, sem nenhum direito.

A fé que crê no impossível revela-se na compaixão.

Sua compaixão diante da dor daquele servo tocou os céus e o impossível aconteceu.

Se você deseja ver o impossível acontecer, esteja sensível às necessidades das pessoas ao seu redor. Antes que Deus possa fazer na sua vida, permita que Ele faça na vida de pessoas que estão sofrendo mais do que você!

3ª Característica = HUMILDADE

“Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto. Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado.” (Lucas 7.6-7)

Jesus atende ao pedido do centurião e vai com seus emissários. Porém, ao aproximar-se de sua casa, o centurião envia amigos para dizer a Jesus que ele não era digno que entrasse em sua casa. Os anciãos disseram que ele era digno sim, mas ele mesmo não se sentia digno nem para ir a Jesus nem mesmo para que Jesus entrasse em sua casa.

Um homem humilde não promove sua própria dignidade nem ostenta as suas virtudes. A grandeza da humildade não está na ostentação, mas no reconhecimento de sua insignificância.

“A humildade diante de Deus revela quem somos e quem Ele é.

” A fé que crê no impossível e rompe barreiras pertence àqueles que se humilham diante do Senhor. 

Entenda que a fé que crê no impossível e rompe barreiras revela-se através da humildade!

4ª Característica = CERTEZA

“… Dize uma palavra, e o meu servo será curado.” (Lucas 7.7)

A compaixão e a humildade daquele centurião geraram em seu coração a certeza de que bastaria apenas uma única palavra de Jesus para que o impossível pudesse acontecer.

Ele tinha a certeza de que em Jesus residia toda autoridade e poder para fazer um milagre.

Uma fé que não estava exigindo sinais, que não precisava de provas. Ele não precisou ver para crer, Ele creu para ver!

Uma fé que crê no impossível e que rompe barreiras tem a certeza de que Jesus tem todo poder, no céu e na terra, para realizar seus milagres, independente se existem sinais ou não, independente se existem provas ou não.

Conclusão

A iniciativa, a compaixão, a humildade e a certeza daquele centurião produziram dois efeitos em Jesus: surpresa e elogio.

Mesmo entre o povo de Israel, Jesus não conseguiu identificar uma fé tão grande. E, por causa da sua fé, uma fé que crê no impossívele e que rompe barreiras, Jesus realizou o milagre:

“Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido.” (Lucas 7.10)

A cura foi em resposta à fé daquele gentio que, mesmo não sentindo digno de receber Jesus em sua casa, foi achado digno de recebê-lo em seu coração!

A fé que crê no impossível e rompe barreiras começa quando você recebe Jesus em seu coração, quando faz dele o Senhor da sua vida. E, a partir dessa experiência, você começa a desenvolver a iniciativa, a compaixão, a humildade e a certeza de que Ele tem poder e autoridade para fazer milagres em sua vida.

Orar!