Conheça e viva a graça de Deus

Texto Base

Pois, por meio da lei eu morri para a lei, a fim de viver para Deus.
Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.

Gálatas 2:19,20

 

Introdução

 

Estamos hoje na terceira semana da série de Mensagens: “Decisões que mudam a vida!”. Esse foi o tema que Deus colocou no coração do nosso pr. Paulo para esse mês em que a Koinonia comemora 20 anos de existência. Será pelo que o coração do pastorzão estava ansiando ao ter de Deus essa temática de mensagens para este mês, um mês tão especial?

Eu estava pensando sobre isso e quero te revelar algo sobre coração de pastor: o sonho de todo pastor é conduzir suas ovelhas a um nível de conhecimento de Cristo e da Palavra, de comunhão com Deus e de vida cristã em que experimentem o poder e a graça de Deus; que as pessoas que as conheçam olhem e as identifiquem com Jesus; que vivam o Reino de Deus e façam diferença onde quer que venham a ir ou sejam colocadas!

Creio que era algo assim que estava pulsando no coração do nosso pastor quando buscou em Deus essa temática. E, vou te dizer algo: se existem decisões essenciais para que essas coisas sejam realidade, com certeza são essas de que falaremos hoje.

Ouso dizer que, sem elas, você e eu nem poderíamos ser chamados de discípulos de Cristo! E mais, a Koinonia nunca veria sua visão alcançada: Ser uma igreja restauradora da esperança em Brasília, no Brasil e no mundo, cuja GRAÇA seja viver o amor de Deus, a ponto de trazer todas as pessoas e a pessoa toda a Cristo! Uau, que tema é esse, pastor?!

O tema da mensagem de hoje é: Conheça e Viva a Graça de Deus! Repita aí comigo: Conheça e Viva a Graça de Deus!

 

 

DESENVOLVIMENTO

Não há outro exemplo tão expressivo nas Escrituras de alguém que tenha tomado a decisão de Conhecer e Viver a Graça de Deus como o de Paulo! Para você ter uma ideia, o Novo Testamento contém aproximadamente 141 ocorrências da palavra “Graça”. Dessas, aproximadamente 100 se encontram nas cartas de Paulo. Sua vida e seus escritos serão, portanto, nosso pano de fundo hoje.

É importante, também, de início, fazer uma diferenciação entre Conhecer a Graça de Deus e Viver a Graça de Deus, dois tópicos dessa mensagem.

Embora conhecer a graça de Deus nos conduza a querer viver essa graça, alguns não seguem adiante ou até começam a viver, mas, por algum motivo (religiosidade, decepções no caminho, até o pecado e afastamento de Deus), deixam isso morrer dentro de si.

1) Mas em que consiste essa Graça de Deus?

Rm 3:23 pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, 24 sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

Jo 3:16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

1.1) Todos nós pecamos e estaríamos destinados à morte eterna, mas Deus nos amou quando nós éramos pecadores (…)

A Graça de Deus consiste em ter Ele, Deus, a iniciativa de amar a mim e a você e entregar Seu Filho, o justo, sem pecado, para se fazer pecado em nosso lugar e receber sobre si o juízo da nossa condenação. Com esse único ato de justiça, Cristo nos justifica, gratuitamente, e nos possibilita ser livres da condenação da morte e herdar a vida eterna.

1.2) Somos justificados pela graça, mediante a fé em Jesus, e não por cumprir regras ou fazer obras

Não é o cumprir ritos, ou regras ou mesmo realizar atos de caridade que nos justificará diante de Deus. Somente a fé, em Cristo Jesus, nos dá acesso a essa graça de Deus, segundo a qual somos redimidos do pecado e da condenação, para a vida eterna.

1.3) A graça de Deus é a concretização do Amor que constrange e nos leva a não viver mais para nós mesmos

Utilizando palavras do próprio apóstolo Paulo, “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões” e “o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” isso é a graça de Deus que se expressa em amor que nos constrange. Paulo foi constrangido no profundo de seu coração por essa Graça!

A graça de Deus nos leva à compreensão e à consciência de que morremos com Cristo. De que não estamos mais debaixo da lei do pecado, nem presos aos atrativos deste mundo.

Com isso, a Graça de Deus nos leva a viver não mais para nós mesmos, não mais para satisfazer nossos prazeres ou alvos aqui na Terra. Ela nos leva a querer nosso coração pulsando por aquilo pelo que pulsa o de Cristo; a vivermos para Aquele que por nós morreu. A sermos instrumentos da Graça, embaixadores em nome de Cristo e portadores da palavra da Reconciliação.

 

2) Conheça a Graça de Deus

Jo 1:17 Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.

1Tm 1:12 Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério,13 a mim, que, noutro tempo, era blasfemo, e perseguidor, e insolente. Mas obtive misericórdia, pois o fiz na ignorância, na incredulidade. 14 Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.

Quando Paulo Conheceu a Graça, ele ainda se chamava Saulo (Atos 9). Pediu cartas ao sumo sacerdote para partir em perseguição aos discípulos, em Damasco, “respirando ameaças e morte”. Ele assolava os cristãos da época, blasfemava contra Jesus, agia movido de ódio revestido de espiritualidade, de religiosidade. Seu objetivo era trazer “presos homens e mulheres” que fossem do Caminho (como eram conhecidos os discípulos de Jesus).

Paulo era um fariseu, dos mais zelosos e respeitados de sua época. Para se ter uma ideia, ele era discípulo de Gamaliel, um rabi que por gerações seguintes foi mencionado por outros rabis, por sua excelência no judaísmo. E, sabe-se, que homens como Gamaliel, que inclusive era membro do Sinédrio, a quem todo o povo ouvia (At.5.34), escolhiam a dedo seus discípulos. Só os considerados mais brilhantes, mais destacados no judaísmo era admitidos como discípulos de homens assim. Paulo era um desses discípulos. Imagine, depois, os comentários na cidade: aquele que era discípulo, cresceu aos pés de Gamaliel, agora “bandeou” para o lado dos crentes?!

Mas não existe coração tão duro que Deus não possa alcançar; mente tão cauterizada que Deus não consiga penetrar; pecado tão grande que a Graça não seja capaz de perdoar, Aleluias!

E Jesus, a Graça de Deus personificada, aparece a ele! Deixa-o cego momentaneamente, para que os seus olhos espirituais pudessem contemplálo, e diz: “Saulo, Saulo por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;”

Saulo, que logo depois se tornaria Paulo, aquele dia Conheceu a Graça de Deus. Foi, na verdade, o dia em que o zelo extremo e sem entendimento, pela Lei de Deus, cedeu lugar à Graça de Deus, pela fé em Jesus!

E veja algo interessante! Paulo chega a dizer que o Deus que o chamou pela sua graça o separou desde antes de ele nascer (Gl 1.15). Porém, aconteceu com ele o que acontece com muitos: ele confundiu esse chamado desde o ventre com uma espiritualidade de ritos, religiosidade, que o fez perseguir o próprio Deus que o chamou! Há aqui pessoas que Deus separou desde o ventre e que, na sua trajetória de vida, assim como Paulo, confundiram a Graça! Buscaram-na em regras, em atos de merecimento, em rituais ou tipos de espiritualidade, até alguns com sacrifícios!

Hoje Cristo, a Graça de Deus personificada, está aqui e te pergunta: Por que me persegues? Que tal deixar de lado as regras, os padrões? Que tal deixar de lado a mágoa das decepções, das imposições durante sua vida? Que tal parar de superstições? Que tal parar de pensar que não há jeito para sua vida?

 

3) Viva a Graça de Deus

Gl 2:19 Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; 20 logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.

O encontro de Paulo com Jesus, no caminho para Damasco, foi algo que o fez tomar uma decisão de Conhecer aquele Jesus que lhe apareceu. E Paulo, inclusive, sai e passa três anos na Arábia, nesse processo inicial de Conhecer de fato essa Graça de Deus, que se apresentou a ele. E podemos notar, do texto acima, que ele dá um passo além: ele decide Viver a Graça de Deus!

O Viver a Graça, olhando-se a vida de Paulo, se dá quando ele adquire a consciência de que morreu com Cristo, para a lei e para este mundo, e se vê “crucificado com Cristo”, não sendo mais ele a viver, mas Cristo vivendo nEle. 

Viver a Graça de Deus é deixar Cristo viver em nós. É viver para Aquele e pela fé nAquele que nos amou e se entregou por nós! É deixar Cristo moldar nosso pensar, nosso falar, nosso agir, nosso querer.

Tit 2:11 Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, 12 educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, 13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,

Viver a Graça de Deus nos leva a algumas compreensões e atitudes importantes:

 

3.1) A Graça de Deus é multiforme tal qual Sua Sabedoria

1Pe 4:10 Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

 

Somos um pixel da grande obra da Graça de Deus aqui na terra

 

3.2) Viver a Graça de Deus significa olhar para o próximo como igual e ter um coração generoso

Esse capítulo 8 da 2ª Carta de Paulo aos Coríntios é muito interessante. Primeiramente, Paulo utiliza o exemplo das Igrejas na Macedônia, que receberam o Evangelho com muita tribulação e, mesmo em sua pobreza, praticamente imploraram a Paulo para participarem da graça de ofertarem para a coleta que Paulo estava fazendo para ajudar a Igreja em Jerusalém.

E Paulo, de certa forma, põe à prova a Igreja de Corinto, que se dizia “superabundante” na fé, no saber, no cuidado, no amor com ele, para ver se cumpririam com a palavra e, de fato, ajudariam. Paulo deixa clara a preocupação de todos terem sustento, ninguém ficar passando necessidade. Ao que chama de igualdade (a graça da igualdade).

 

3.3) Viver a Graça de Deus significa aprender a deixar a glória dEle sobressair na sua vida

2Co 12: 9 Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo.

Viver a Graça de Deus, como vimos no início, pressupõe deixar Cristo viver em nós, e a soberba ou qualquer outra forma de auto exaltação nossa fazem exatamente o contrário; leva-nos para o “eu vivo em mim”, eu sou “o cara”. Por isso, aprender a reconhecer o poder de Deus na fraqueza e contentar-se com a graça de Cristo costumam fazer parte da vida de quem decide Viver a Graça de Deus! Até porque Deus pode nos levar a lugares que nunca imaginamos, mas é para que Ele seja exaltado, não nós mesmos!

 

3.4) A graça de padecer por Cristo e não somente crer nEle

Flp 1:29 Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, 30 pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu.

Viver a graça de Deus vai além de crer em Jesus Cristo. Significa assumir, de fato, que Cristo vive em nós e compreender que temos o mesmo combate que houve em Paulo, de levar o Evangelho da Graça de Deus, sendo isso sua vida, sua missão, onde quer que Deus o coloque. Muitas vezes, será o padecer literalmente, suportar situações até difíceis.

 

3.5) Alegre-se: a Graça de Deus também nos fortalece (May the Grace be with You)

2Tm 2:1 Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus.

Quando Paulo fala do poder de Deus que se aperfeiçoa na fraqueza, ele sabe que a Graça de Jesus também nos fortalece. Quantas vezes ele se fortaleceu nessa Graça? Por isso, talvez, ele costume terminar suas cartas com “A Graça seja convosco”. Interessante quando ele escreve aos Colossenses 4:18: A saudação é de próprio punho. Lembrai-vos das minhas algemas. A graça seja convosco. Quem vive a Graça de Deus encontra nela fonte de força!

 

 

CONCLUSÃO

Conhecer a graça cura e traz vida ao nosso espírito, nossa alma e até ao nosso corpo. E, mais do que tudo isso, nos conecta com Deus, com Cristo e com os céus. Nos traz salvação e perspectiva de vida eterna, vida que não se esgota aqui na terra. Quem Conhece a Graça não deseja mais ser o mesmo. 

Porque a Graça tem como fundamento o Imenso Amor de Deus, que nos constrange a não sermos mais como éramos; a viver não mais para nós mesmos; a Viver a Graça de Deus que significa: Cristo vivendo em mim!

E não é um constrangimento por coação, imposto; é o constrangimento que decorre do Imenso amor do Pai diante da nossa condição; da consciência do imerecimento e de que nunca, nem com toda a vida, teríamos como pagar de volta pelo que Cristo fez por nós!

Por isso, a resposta de quem Conhece verdadeiramente a Graça é uma só: Viver a graça, pela Graça e para a Graça!

Decida hoje Conhecer a Graça; decida hoje viver a Graça!