Justiça Generosa

Texto Base:

Pois os pobres vocês sempre terão consigo, e poderão ajudá-los sempre que o desejarem. Mas a mim vocês nem sempre terão.

Marcos 14:7

Introdução

Estamos concluindo mais um mês de ministrações sobre os propósitos de Deus para a minha e a sua vida.

No mês de abril temos falado sobre Comunhão, relacionamentos dentro da igreja, onde entendemos também que Jesus será conhecido se amarmos uns aos outros. Para o próximo mês (próximo domingo) começaremos com o tema “Ser discípulo de Jesus”.

Vamos continuar sendo confrontados pela Palavra de Deus, desafiados a conhecer e viver os propósitos de Deus. Concluindo o mês de abril, hoje falarei da relação da igreja com os necessitados. Jesus disse que em Mc. 14:7 que “Os pobres vocês sempre terão com vocês e poderão ajuda-los sempre que o desejarem.

Mas a mim vocês nem sempre terão.” Esse fato aconteceu quando Simão, que havia sido curado por Jesus fez uma festa de gratidão e convidou Jesus. Lá também estavam os amigos de Jesus, Lázaro, Marta e Maria. Eles não estavam preocupados com os pobres, eles estavam preocupados com o desperdício do perfume derramado sobre Jesus.

Na verdade, Maria estava ungindo, preparando o corpo de Jesus para sua morte Tanto é que quando Jesus morre e é sepultado, na manhã de domingo, Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago compraram especiarias aromáticas para ungir o corpo de Jesus.

Mc.16:1 Maria estava ungindo o corpo de Jesus, preparando-o para sua morte onde traria a todos quantos desejassem a justificação e consequentemente a justiça. Os discípulos ainda não haviam entendido o que era Justificação e Justiça.

 Desenvolvimento

Hoje eu percebo que nós cristãos amamos a justificação e estamos esquecendo de amar a justiça.

A igreja celebra a justificação pela fé, mas me parece que não curte a justiça. É um grande erro.

Explicação: Quando você entregou sua vida para Jesus, para que Ele fosse seu Salvador e Senhor, automaticamente você foi perdoado de todos os seus pecados.

Porque?

Você foi justificado! Pela fé. Por acreditar no que Jesus fez por você. Isso não é novo. Não é uma doutrina (regra) do século XXI. É lá do início da igreja e começou com a morte de Jesus. Com o passar do tempo, as pessoas esqueceram do que Paulo também havia falado que somos justificados pela fé em Cristo Jesus.

1 – Conceito de justificação

A demais religiões dizem: Viva como se deve e Deus o aceitará e o abençoará. Em outras palavras: faça isso que Deus te aceitará e te abençoará.

Mas o cristianismo diz: Aceite a aceitação e a benção de Deus. Receba a sua aceitação e sua benção como um dom através do que Jesus fez na cruz e só então você viverá como se deve.

Receba a benção através de Jesus como um dom gratuito de Deus, e então viverá como se deve.

Você não é justificado pelas suas obras e pelos seus esforços, por viver como se deve, você é justificado pela fé, e pela fé você recebe o dom de Deus.

Justificação não é apenas o perdão. Muitos pensam que justificação significa que seus pecados são perdoados, Isso é verdade! Faz parte.

Nós dizemos que quando nós cremos, nossos pecados são depositados sobre Jesus. Mas isso não é tudo!

Justificação não é apenas que nossos pecados foram depositados sobre Jesus, mas que a justiça Dele é depositada sobre nós.

II Co.5:21 – Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus.

O que significa? Que Jesus foi tratado como se tivesse feito tudo o que fizemos e isso significa agora que quando você recebe a Jesus, agora Deus aceita você como se você tivesse feito tudo o que Jesus fez.

E o que Jesus fez e ensinou? JUSTIÇA

Você agora tem Jesus! Isso é justificação.

Justificação é pela fé somente.

E o que justificação tem a ver com justiça? Tudo!

A igreja precisa de justiça renovada. Precisamos trabalhar pelos necessitados.

Justiça não está falando da justificação pela fé.

Não está falando sobre substituição da expiação de Jesus, mas está falando de quão importante é seguir a Jesus, que devemos mostrar os valores do Reino e não os do mundo.

 

2 – A justiça é o sinal de que fomos justificados pela fé.

Não é a base. Você não é justo por estar ajudando os pobres, mas um coração derramando obras de misericórdia e justiça para com os pobres. Isso é um sinal inevitável de que fomos justificados, de que fomos salvos pela graça.

(No Antigo Testamento, os profetas Jeremias, Isaías e Amós, todos dizem que se não estamos preocupados com o quarteto vulnerável (o órfão, a viúva, o estrangeiro e o pobre), nosso coração não está correto para com Deus.

Não que sejamos desobedientes, mas que tem algo errado no nosso coração.

Quando demonstramos falta de preocupação com o pobre, esse é um sinal de que honramos a Deus somente de lábios, e que o nosso coração está longe Dele.

Deut. 10:18, 19 – Deus defende a causa do órfão e da viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe alimento e roupa. Amem os estrangeiros, pois vocês mesmos foram estrangeiros no Egito

Deus estava dizendo: Eu salvei vocês por graça e agora não agem assim?

Vamos para o Novo Testamento. Será que é diferente do Antigo Testamento?

Ao ensinar, Jesus dizia: “Cuidado com os mestres da lei. Eles fazem questão de andar com roupas especiais, de receber saudações nas praças e de ocupar os lugares mais importantes nas sinagogas e os lugares de honra nos banquetes. Eles devoram as casas das viúvas, e, para disfarçar, fazem longas orações. Esses receberão condenação mais severa! ” Marcos 12:38-40

Jesus falando sobre os fariseus. Isso mostra um relacionamento errado para com Deus.

Jesus faz a mesma análise de Jeremias, Isaias e Amós.

Para saber se o nosso relacionamento está correto para com Deus baseado na graça, observe se você se preocupa com o necessitado.

Você é salvo somente pela fé, mas não por uma fé que permanece só.

A fé salvadora de verdade resultará em obras.

Justificação leva a justiça.

Justiça é o sinal da justificação.

 

3 – Três razões para exercermos a justiça generosa

a) A justificação pela fé nos dá uma alta visão de justiça.

b) A justificação pela fé muda nossa postura para com os necessitados

c) A justificação pela fé muda a postura do necessitado.

Quando o evangelho de Jesus se apodera o necessitado, sua vida é transformada.

Conclusão

Quando o mundo vê a igreja fazendo justiça, se dedicando ao cuidado dos pobres, então o mundo se interessará pela justificação.

Para a igreja, justificação leva a justiça.

Mas para o mundo, justiça leva a Justificação.

O mundo ouvirá de nós e perguntará: O que mudou vocês? O que lhe tornou esse tipo de pessoa que faz isso?

Aquele que oprime o pobre com isso despreza o seu Criador, mas quem ao necessitado trata com bondade honra a Deus.Provérbios 14:31

É como se Deus estivesse dizendo:

– Eu sou o pobre no seu caminho;

– Eu sou o pobre de Águas Claras.

– Sua postura com eles revela qual a sua real postura para comigo.