Maria e o Jardineiro

Texto Base:

1.No primeiro dia da semana, bem cedo, estando ainda escuro, Maria Madalena chegou aosepulcro e viu que a pedra da entrada tinha sido removida.

2.Então correu ao encontro de Simão Pedro e do outro discípulo, aquele a quem Jesus amava, edisse: “Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o colocaram!

3.Pedro e o outro discípulo saíram e foram para o sepulcro.

4.Os dois corriam, mas o outro discípulo foi mais rápido que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro.

5.Ele se curvou e olhou para dentro, viu as faixas delinho ali, mas não entrou.

6.A seguir Simão Pedro, que vinha atrás dele, chegou, entrou no sepulcro e viu as faixas de linho,

7.bem como o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus. Ele estava dobrado à parte, separado dasfaixas de linho.

8.Depois o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, também entrou. Ele viu e creu.

9. ( Eles ainda não haviam compreendido que, conforme a Escritura, era necessário que Jesus ressuscitasse dos mortos. )

10. Os discípulos voltaram para casa.

11. Maria, porém, ficou à entrada do sepulcro, chorando. Enquanto chorava, curvou-se para olhar dentro do sepulcro

12. e viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde estivera o corpo de Jesus, um à cabeceira e o outro aos pés.

13. Eles lhe perguntaram: “Mulher, por que você está chorando? ” “Levaram embora o meu Senhor”, respondeu ela, “e não sei onde o puseram”.

14. Nisso ela se voltou e viu Jesus ali, em pé, mas não o reconheceu.

15. Disse ele: “Mulher, por que está chorando? Quem você está procurando? ” Pensando que fosse o jardineiro, ela disse: “Se o senhor o levou embora, diga-me onde o colocou, e eu o levarei”.

16. Jesus lhe disse: “Maria! ” Então, voltando-se para ele, Maria exclamou em aramaico: “Rabôni! ” ( que significa Mestre ).

17. Jesus disse: “Não me segure, pois ainda não voltei para o Pai. Vá, porém, a meus irmãos e digalhes: Estou voltando para meu Pai e Pai de vocês, para meu Deus e Deus de vocês”.

18. Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos: “Eu vi o Senhor! ” E contou o que ele lhe dissera.”

 

João 20:1-18

 

 

Introdução

Neste mês falaremos sobre encontros improváveis. Deus usa encontros improváveis, você sabia disso?

• Improvável é aquilo que, pelo menos em tese, não tem probabilidade de ocorrer

• Existe, afinal de contas, improvável para Deus?

• A questão aqui não é o limite do poder de Deus, é o limite da nossa fé. Por isso algumas coisas soam aos nossos ouvidos como improváveis

• Vamos ver um encontro improvável na vida de uma mulher especial hoje

 

Desenvolvimento

1 – É provável que você lide com problemas aparentemente não solucionáveis.

(v.1 – 2) O problema surge

• Na nossa limitação, levantamos possibilidades para identificar o que está acontecendo. Por vezes julgamos erroneamente.

 

2 – (v.11) – É provável que na vida você chore pelos motivos de:

• Perda

• Solidão

• Sentimento de injustiça

 

3 – (v. 11 18) – É provável que a dor deixe por muitas vezes a sua percepção insensível. Na dor, a sensação muitas vezes é de que a presença de Deus é improvável

4 – (v. 15-16) – É provável que Deus use pessoas e situações improváveis para lhe trazer socorro na angústia

5 – ATENÇÃO, MULHER:

Jesus te conhece – Ele acompanha seus dias, vê você até quando está sozinha

Jesus te chama pelo nome – Você não é mais uma, você é única para Ele. Sua vida e sua condição importam. Obs.: A história de Maria, ali sozinha, foi trazida para a Palavra de Deus! Jesus apareceu primeiro para uma mulher!

• Na dor, tudo o que você precisa é de um encontro com Jesus

• Jesus já está com você! Pare um pouco. Percebe por que você está aqui hoje. Pode ouvilo?

CONCLUSÃO

• O encontro com Jesus é provável em sua vida

• É necessário estar sensível para que possa discernir o pai falando ao seu coração.

• Sua vida, sua condição, importam para Jesus

• Ele te conhece

• Tudo o que você precisa é Dele