Quanto lhe custa cumprir sua missão?

Texto Base:

E lhes disse: “Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia,

e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém.

Vocês são testemunhas destas coisas.

Lucas 24:46-48

 

 

Introdução

Todo discípulo possui a missão de dar seguimento às obras de Jesus. Somos devedores de cada homem; devedores em dar-lhe o Evangelho na mesma medida em que temos recebido.Essa missão demanda de cada um não essencialmente uma preparação teológica, emocional e social, mas principalmente, a consciência de que serão necessários sacrifícios.

“Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.” João 20:21

Cristo compara seu ministério com o dos discípulos. O que está em destaque das obras do Messias é o que lhe custou para fazer a vontade do Pai: a vida.

O texto em Lucas 24:26-48, afirma que “convinha que Cristo padecesse”. Era conveniente que Jesus se sacrificasse pela humanidade, com o intuito de, assim, resgatar a esperança da glória. Quando se fala em “conveniência”, percebe-se a necessidade de fazer algo adequado para alcançar a finalidade proposta. Conveniência significa:

• Se preparar para o certo

• Aceitar o momento certo

• Fazer o certo

Compreendendo a importância da conveniência de se sacrificar pelo Reino, é possível, assim, responder à pergunta: Quanto custa ao discípulo cumprir sua missão?

 

Desenvolvimento

1) O QUE REALMENTE IMPORTA PARA SACRIFICAR

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Rm 12:1

Por meio do texto, logo se percebe que o custo da nossa missão é o nosso corpo como sacrifício. Isso simboliza que nossa vida deva ser entregue como oferta à Deus, reconhecendo o que ele fez por nós. Todavia, não é de qualquer forma que a vida seja entregue:

SACRIFÍCIO EXCELENTE:

– Corpo vivo

Sensível, sensibilidade à vontade do pai.

– Corpo santo

Separado, disposto a negar o pode entristecer Deus.

– Corpo agradável

Agradável ao ambiente, mas principalmente a Deus.

 

Segundo Rick Warren, “O melhor exercício da vida é amar. A melhor expressão do amor é o tempo. O melhor momento de amar é agora.” (p. 148). Infere-se do texto que se viver é amar, e amar é dedicar tempo, entregar a vida a alguém, significa entregar tempo a essa pessoa.

Para que o cristão seja SACRIFÍCIO EXCELENTE, é necessário dedicar acima de tudo tempo às coisas que importam.

Pois sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado seja destruído, e não mais sejamos escravos do pecado;

Pois quem morreu, foi justificado do pecado.

Ora, se morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos. Romanos 6:6-8

O benefício reservado para os que assumem o custo do SACRIFÍCIO EXCELENTE trará recompensas que não serão extinguidas com o tempo, recebe-se isso por meio da FÉ.

O que impede de assumir o custo de seguir Cristo?

 

2) SACRIFÍCIO APARENTE

“E eis que, aproximando-se dele um jovem, disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?

E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.

Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho;

Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.

E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades. ” Mateus 19:16-22

Embora o jovem rico tivesse afirmado que cumpria os mandamentos, seu coração não estava focado na obediência, mas na preservação do seu patrimônio. Isso desagradou a Cristo, uma vez que o local onde devemos ajuntar tesouros não é nesse mundo, pois tudo aqui a traça corrói.

O jovem rico estava preso em suas posses, por isso não estava apto a cumprir sua missão na terra, desejava ofertar não um SACRIFÍCIO EXCELENTE, mas sim um SACRIFÍCIO APARENTE.

“E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.” Mateus 19:22

Qual motivo de o patrimônio ter impedido o jovem rico de cumprir sua missão?

Seguro frágil, caso algo desse errado

• Falsa liberdade

Influência social, viver de aparências

Dom meritório que dispensa a graça

Pelo texto percebe-se que o jovem até poderia ser capaz de cumprir os mandamentos, desde que não precisasse se desfazer das suas posses. Ter como segurança as posses e não a fé, é duvidar da capacidade divina de provisão, é ter um plano B caso o plano de Deus falhe. É camuflar o real custo de seguir os ensinos de Jesus.

“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” Mateus 6:33.

Todos possuem áreas sensíveis que tendem a limitar a fé e negar o custo da missão.

 

3) O ALTO CUSTO

Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.

A palavra perfeito em Mt 19:21 é originária do grego teleios, que significa alvo, fim. A preocupação de Cristo seria sobre o foco do coração do jovem. Jesus não implicou na troca do tesouro no céu pelas propriedades. Mas sim, incitou que o jovem refletisse sobre “onde estava o seu coração?”.

“Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.” Lucas 12:34

Por outro lado, ao afirmar que cumpria os mandamentos, o jovem desejou confirmar que não precisava de um intermediador para fazer a vontade de Deus e ser perfeito, pois ele supostamente já tinha cumprido tudo. Ao ser desafiado na venda das posses, compreendeu que não conseguiria, de fato, viver a lei como deveria. O jovem se abalou pois compreendeu que não conseguiria sozinho custear a missão de Deus para sua vida.

Seja qual for o motivo impeditivo para fazer a vontade de Deus, Cristo veio para eliminá-lo:

Individualismo     Solidão     Falsa segurança      Medo

 

Assumir o custo de cumprir a missão gera dor. Diante das dores existentes, não há como dimensionar quanto custa a dor da rejeição, ainda mais por quem deveria ser mais acolhedor. A bíblia compara essa dor com o tamanho do amor divino.

“Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.” Isaías 49:15

Estudos afirmam que a rejeição afeta drasticamente o desenvolvimento do ser como um todo, assim pontua o autor José Roberto Marques: “a rejeição afeta os seres humanos em uma variedade de âmbitos: emocional, cognitivo, comportamental e também neural. Com tantas implicações, a rejeição não poderia deixar de gerar uma enorme gama de respostas emocionais negativas.”.

O que dizer da rejeição paterna? Quem suportaria? Dor é dimensionada somente por quem já passou. Existe um homem que enfrentou essa dor para cumprir a missão?

“E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mateus 27:46

Segundo Champlim, enquanto homem, “Jesus sentiu mais agudamente o seu horrendo estado de separação de Deus, porquanto suportava os pecados do mundo, e se identificou perfeitamente com o pecador, que está separado de Deus.” O custo da missão de Jesus foi entregar sua vida suportando por cada discípulo a dor de ser rejeitado pelo seu próprio pai.

Através desse SACRIFÍCIO EXCELENTE, hoje o homem pode confiar que não será rejeitado por Deus.

 

CONCLUSÃO

O custo de cumprir a missão, é dedicar nossa vida, tempo de qualidade as coisas de Deus;

• Independente de qual seja o sacrifício do discípulo, jamais se comparará com o que custou a Cristo;

• O SACRIFÍCIO EXCELENTE difere do APARENTE pois é sustentado pela fé.

• Segundo John Stott, “Não devemos nos perguntar: ‘o que está acontecendo com o mundo?’, porque este diagnóstico já foi dado. Em vez disso, devemos perguntar-nos: ‘o que está acontecendo com o sal e a luz do mundo?’”